header
Pesquisa Avançada
Your search results

Taxa Selic: como a redução da afeta os meus investimentos?

por Mais M2 em 8 de junho de 2020
Taxa Selic: como a redução da  afeta os meus investimentos?
Comentários aprovados:0

Se você é uma das pessoas que nunca ouviu falar da taxa Selic e não sabe como ela afeta a sua vida, essa é a hora de mudar. Mesmo que você não tenha visto a Selic em ação, em patamares cada vez mais baixos, é importante conhecer como essa oscilação afeta o seu bolso e os seus investimentos.

Se você acredita estar imune porque ainda não começou a investir, então eu tenho novidades para você. Essa é uma taxa base que impacta a economia, desde juros de financiamentos praticados por instituições financeiras até a rentabilidade da poupança.

Por isso, elaboramos este post para demonstrar como a Selic funciona e o seu impacto em investimentos. Continue lendo para saber mais detalhes.

O que é a taxa Selic?

Em termos simples, a Selic é a abreviação utilizada para designar o Sistema Especial de Liquidação e Custódia. Muitas vezes, no âmbito financeiro, dizemos que ela é a “taxa mãe” da economia, pois serve como parâmetro e métrica para as demais taxas de juros existentes no mercado brasileiro.

Se você tem algum financiamento, pegou empréstimo no banco ou usa o cheque especial do seu cartão, você está em contato direto com a Selic. Na prática, isso quer dizer que as taxas que afetam a nossa economia acompanham a oscilação da Selic.

Como a taxa Selic afeta os investimentos?

Investidores de todos os perfis estão sujeitos ao impacto das mudanças nas taxas de juros, por isso a sua estratégia deve acompanhar a sua evolução.

A escolha de investimento

Muitos especialistas utilizam o aumento e a queda da Selic como parâmetro para decidir onde investir. Por exemplo, 2017 foi o ano em que a Selic chegou a 13% ao ano. Quem aproveitou esse momento para investir conquistou lucros excelentes neste período.

Por isso, em um cenário de alta, a recomendação é direcionar os seus investimentos para aplicações pós-fixadas. Por outro lado, quando estamos vivenciando uma tendência de queda, como é o caso hoje, devemos aplicar a maioria dos recursos em investimentos pré-fixados.

Essa medida garante que você conquiste ganhos significativos mesmo em momentos de incerteza econômica.

Os resultados da poupança

Como resultado, é observado que as aplicações mantidas na poupança rendem muitos menos do que a inflação. Ou seja, com a aplicação financeira mais acessível aos brasileiros, o investidor está perdendo dinheiro.

Quando isso acontece, está na hora de buscar alternativas mais rentáveis que oferecem a mesma segurança e liquidez, em caso de necessidade.

Aplicações atreladas a taxa Selic

O tesouro direto é conhecido pela sua confiabilidade e segurança. Esse tipo de aplicação é recomendado para quem está dando os primeiros passos no mercado financeiro e deseja proceder com cautela.

O Tesouro Selic é frequentemente apontado com uma opção para quem deseja manter recursos investidos como uma reserva de emergência. Esse investimento está atrelado a Selic, ou seja, o rendimento diário depende do valor da taxa mais um percentual utilizado para correção.

Porém, quando ocorrem quedas periódicas é perceptível que essa opção já não é tão vantajosa para o investidor. Nesse caso, os recursos podem conquistar maior rentabilidade em aplicações de renda fixa de curto prazo.

Por isso, se você deseja conhecer mais sobre o assunto, fale com um de nossos especialistas e siga a Mais M2 nas redes sociais para mais sobre esse conteúdo: FacebookInstagramLinkedin e Youtube

 

Compartilhar

Deixe seu comentário

Your email address will not be published.

Comparar